Peça do Mês I

Due to this article’s length, I thought it wise to publish the English and Portuguese versions separately. For the English version, please click here.

Depois de vários pedidos, decidi criar neste espaço uma rubrica mensal: a Peça do Mês. Neste espaço irei partilhar, de forma sumária, uma peça quatrocentista portuguesa – de arte, de armamento, de roupa – que nos ajude a aprofundar a nossa visão da vida em Portugal nas décadas de 70 e 80 do século XV.

E a peça inaugural é…

PEÇA DO MÊS I – VISEIRA DE CELADA

Colecção: Museu Militar, Lisboa – Portugal (Inv. – MML. N.º 21/88)

Datação: Século XV, segunda metade (?)

Proveniência: Desconhecida

Local de Manufactura: Desconhecido

Dimensões: 16cm de altura x 28cm de largura

Peso: 343g

Materiais: Aço (?)

Descrição: Viseira de face inteira, feita de uma única peça de metal, com aresta central a todo o comprimento. Apresenta dois pares de orifícios em cada extremidade lateral: o maior destes orifícios serviria serviria para um rebite ou perno de fixação ao casco da celada; o orifício mais pequeno pode ter servido para fixação posterior noutra celada ou sido feito para efeitos expositivos. Integra um reforço de testa, com borda em recorte duplo e um grande prolongamento central (com um pequeno orifício no topo) que termina numa aresta quase redonda.

78623631_441064193436878_6794632760418893824_n.jpg
Vista lateral da viseira, in situ. Fotografia minha.

A abertura da viseira ou ocularium consiste em duas fendas  horizontais, separadas no centro por uma pequena lingueta de aço sobre a zona do nariz. Esta lingueta constitui uma ponte entre a zona do reforço de testa e o bordo grosso e saliente que corre ao longo das aberturas para visão. Junto ao bordo inferior da viseira existe outro pequenino orifício, sem aparente propósito.

78836417_2216352111798730_5891435553643036672_n.jpg
Perspectiva frontal da viseira, com destaque para a zona côncava de transição para o bordo. Fotografia minha.

Esta viseira é o único e último testemunho, em solo português, das muitas celadas que certamente terão passado pela cidade de Lisboa no século XV e sido armazenadas no Arsenal Régio. É impossível determinar  onde terá sido feita. Marcas de armeiro, não as

81607654_1358679847672241_1345844366026997760_n
Modelo esquemático da viseira de Lisboa, montada num casco estilisticamente neutro.

há. Já as opções estilísticas escolhidas para esta peça – que tem muito em comum com uma celada de ca. 1460-1490 que se conserva no Victoria & Albert Museum de Londres [1] – coadunam-se com uma variedade de “estilos” regionais em uso na Idade Média em Portugal (anglo-/franco-borgonheses, italianos de exportação…). Pode, inclusive, ter sido feita em Portugal, por armeiros portugueses. Não há como saber. Ainda assim, venha de onde venha, esta viseira permite-nos formar uma ideia muito clara do tipo de celadas que se usariam por terras lusas.

 

[1] http://collections.vam.ac.uk/item/O92981/sallet-unknown/

 

BIBLIOGRAFIA

Agostinho, P. (2012). Vestidos para matar: o armamento de guerra na cronística portuguesa de quatrocentos. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra

Barroca, M. E Monteiro, J. (Coords.) (2000). Pera Guerrejar. Armamento Medieval no Espaço Português. Palmela: Câmara Municipal de Palmela

Monteiro, J. G. (2001). Armeiros e Armazéns nos Finais da Idade Média. Viseu: Palimage Editores

Advertisement

2 thoughts on “Peça do Mês I

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s